Quem trata melasma tem que mudar os cuidados no verão: dermatologista faz alerta

O melasma é uma condição dermatológica que afeta principalmente mulheres em idade fértil, com peles mais morenas e de países de climas quentes. Representa manchinhas escuras ou “mais acastanhadas” na pele que aparecem, principalmente, nas maçãs do rosto, testa, nariz, lábio superior e na lateral dos braços e colo.

Qual cuidado necessário?

No melasma, acontece um estímulo das células que produzem a melanina na pele, que passa a trabalhar demais produzindo o pigmento. Essa é uma condição crônica que, apesar de não ter cura, o uso de dermocosméticos, procedimentos dermatológicos, ou a junção dos dois, podem promover controle e melhora significativa das manchas. Por esse motivo, muitas mulheres adotam mais de uma alternativa de tratamento continuado.

 

Porém, segundo a dermatologista Fabia Oppido Schalch, pacientes com manchas de pele como os melasmas precisam ficar atentos com o uso dos filtros solares e adicionar os antioxidantes aos tratamentos. “No verão, é importante reduzir a indicação e o uso de ácidos mais fortes, pois existe a possibilidade de irritação”, explica a especialista.

Porém, o tratamento do melasma pode ser mantido com clareadores menos sensibilizantes. Os tratamentos de consultório também devem ser mais suaves por causa do risco da exposição solar. Para isso, algumas alternativas são os peelings físicos com esfoliação por ação física e sem ácidos, lasers menos agressivos e máscaras clareadoras.

Os foto protetores mais indicados são os que contêm coloração de base e fatores acima de 60. Além disso, também já estão sendo testados adesivos que podem ser colocados na pele para fazer a dosagem da radiação UV no momento da exposição. Com essa medida, se espera uma nova conscientização da população a respeito dos danos causados pelo sol.

 

Fonte: Vix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.