6 erros ao tomar pílula anticoncepcional que te colocam em risco de engravidar

6 erros ao tomar pílula anticoncepcional que te colocam em risco de engravidar -

Os anticoncepcionais se transformaram em aliados da mulher moderna tanto por evitar uma gravidez indesejada quanto por ajudar a regular a menstruação e os hormônios, além de auxiliar no combate as espinhas na pele.

Porém, muitas mulheres ainda cometem erros ao tomar a pílula. E assim como outros medicamentos, os anticoncepcionais devem ser usados de maneira correta e periódica para garantir efeitos duradouros e seguros.

Erros que as mulheres cometem ao tomar a pílula

1 – Esquecer com frequência
A eficácia do anticoncepcional pode ser comprometida quando a mulher esquece de tomar a pílula. O ideal é ingerir assim que lembrar e, se for só no dia seguinte, não tem problema tomar duas ao mesmo tempo.

Se tiver passado mais de 12 horas, a proteção contraceptiva pode ficar reduzida e, se esquecer por mais de dois dias, há um risco maior de engravidar.

6 erros ao tomar pílula anticoncepcional que te colocam em risco de engravidar -

2 – Não tomar sempre no mesmo horário
Como um medicamento de uso contínuo, o anticoncepcional deve ser ingerido diariamente no mesmo horário. A quantidade de hormônios na pílula é muito pequena e, por isso, não tomar em um mesmo período de tempo pode baixar o nível hormonal e o funcionamento do contraceptivo no organismo.

3 – Tomar anticoncepcional e pílula do dia seguinte
A pílula do dia seguinte tem uma quantidade de hormônios muito maior que a pílula comum e, por isso, não deve ser tomada no meio da cartela do anticoncepcional.

Combinar os dois remédios pode gerar efeitos colaterais como vômitos, náuseas, dores de cabeça, nas mamas, além de aumentar os riscos de trombose. A pílula anticoncepcional e a camisinha já trazem proteção suficiente como métodos contraceptivos.

4 – Emendar cartelas de anticoncepcional
A prática é comum e nem sempre as mulheres buscam orientação médica antes de emendar cartelas de anticoncepcional na outra, sem que ocorra o sangramento regular no intervalo entre elas.

As pílulas podem ser usadas de forma contínua e não faz mal. Mas antes de tomar essa decisão é recomendado consultar o ginecologista para orientações.

5 – Escolher a pílula sem orientação médica
Cada tipo de pílula tem diferentes dosagens de hormônios, que se adaptam a perfis distintos de organismo. Por isso, não é correto sair tomando a primeira cartela que encontrar na farmácia: é preciso consultar um especialista para saber qual é o melhor contraceptivo de acordo com cada caso.

E se no meio da cartela a mulher notar mudanças no corpo, como retenção de líquido ou ganho de peso, é preciso voltar ao médico para descobrir se é a pílula que pode estar causando essas alterações.

6 – Tomar outros medicamentos
Combinar a pílula com medicamentos como antibióticos, por exemplo, pode reduzir o efeito do anticoncepcional. Antes de usar qualquer remédio, especialmente barbitúricos e anticonvulsivantes, é preciso perguntar ao médico se existe possibilidade de interferência no método contraceptivo.

Fonte: Vix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.