Olheiras: tipos, causas e tratamentos para não ter mais dúvidas sobre o assunto

Olheiras: tipos, causas e tratamentos para não ter mais dúvidas sobre o assunto

Não é só o cansaço que pode fazer as olheiras aparecerem: as causas são variadas e até mesmo surpreendentes. “Em geral, a presença de olheiras não tem relação com doenças”, esclarece a Dra. Caroline Cividanes, dermatologista do Hospital 9 de Julho, de São Paulo. Segundo a especialista, existem, basicamente, três tipos de olheiras e eles só são identificados a partir de um exame físico detalhado.

Olheiras: tipos, causas e tratamentos para não ter mais dúvidas sobre o assunto
O primeiro tipo é aquele que aparece pelo escurecimento da pele abaixo das pálpebras e, de acordo com a médica, é a causa mais comum do problema. O tratamento ideal consiste no clareamento da pele com o uso de ácidos, peeling ou luz pulsada.
O segundo, por sua vez, ocorre em pessoas que possuem a pele muito clara, sendo possível enxergar, pela transparência, os vasinhos da região – o que causa o aspecto de olheira. Segundo a dermatologista, não há tratamento para este caso, uma vez que está relacionado à constituição física do corpo do paciente.
O terceiro e último tipo, por fim, é a olheira que surge pela falta de gordura na área abaixo das pálpebras e deixa o rosto com olhos fundos e uma aparência cansada. “Está mais relacionado ao envelhecimento, processo no qual ocorre perda de gordura da região e provoca o aparecimento de um sulco no local”, explica. Neste caso, o tratamento mais eficaz, na opinião da especialista, é o preenchimento com ácido hialurônico.

Como disfarçar as olheiras com maquiagem?

Se você quiser amenizar a imperfeição e está cansada de tentar esconder as olheiras sem sucesso, conheça a técnica do triângulo invertido. Com ela, é possível suavizar a aparência de cansaço sem exagerar no corretivo ou causar um grande contraste entre o tom do produto e o da base.

1. DESENHE O TRIÂNGULO
Escolha um corretivo do mesmo tom da sua base ou, no máximo, com um tom de diferença. Com o pincel de corretivo, os dedos ou o produto em caneta, desenhe um triângulo do canto externo ao interno do olho, pegando bem a região da olheira. Desça o traço beirando o nariz e feche o triângulo, deixando o centro vazio. Esse espaço “em branco” é o que evita que você exagere no produto.

2. ESPALHE PARA O CENTRO
Comece a espalhar o produto subindo pela lateral do nariz até que a linha entre o produto e a pele crua seja imperceptível. Vá dando leves batidinhas com o dedo e evite fazer movimentos de vaivém, pois, em vez de espalhar, você acaba retirando o produto ou deixando ele mais grosso.

3. CONTORNE OS OLHOS
Espalhe até bem rente aos cílios inferiores, para não criar sombra e, ainda dando suaves batidinhas, vá puxando o corretivo para o canto externo dos olhos e subindo em direção às pálpebras. Se quiser dar mais destaque aos olhos, invista em um corretivo iluminador, que vai “acender” a região.

4. TERMINE NA PÁLPEBRA
A pálpebra pode até não ser escura, mas é mais pigmentada que o resto e pode interferir na cor da sombra. Por isso, para evitar acúmulo de produto nas linhas finas e no côncavo, menos é mais. Cubra as pálpebras com o que sobrar de produto nos dedos, espalhando até a linha da sobrancelha. Além de neutralizar o tom na região, o corretivo serve como base para sombras.

5. ACABAMENTO FINAL
O resultado deve ser o mais natural possível, como se fosse a sua pele. Se achar necessário, aplique mais um pouco de produto onde a cobertura ainda não foi satisfatória. O pó compacto sela o corretivo e ajuda a controlar a oleosidade nas pálpebras. Invista nele se quiser um acabamento acetinado, mas cuidado para não exagerar e ficar com a região esbranquiçada.

 

Fonte : MdeMulher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.