Ficar mais tempo com os pais ajuda a criança aprender mais do que na escola

Embora não haja dúvida de que a escola é importante na educação dos filhos, uma série de estudos recentes tem comprovado que a provinda dos pais é ainda mais. Um estudo publicado por pesquisadores da Universidade Estadual da Carolina do Norte, da Universidade Brigham Young e da Universidade da Califórnia-Irvine, por exemplo, descobriu que o envolvimento dos pais ao checar o dever de casa, assistir a reuniões e eventos escolares e discutir atividades em casa é uma influência mais poderosa sobre o desempenho acadêmico dos alunos do que qualquer outra obrigação escolar que os alunos tenham.

 

Quais os benefícios?

Outro estudo, publicado na Review of Economics and Statistics, relata que o esforço dos pais (lendo histórias em voz alta, encontrando-se com professores) tem um impacto maior sobre o desempenho educacional de seus filhos do que o esforço gasto pelos professores ou pelos próprios alunos. E um terceiro estudo conclui que as escolas teriam de aumentar seus gastos em mais de mil dólares por aluno, a fim de obter os mesmos resultados que são obtidos com o envolvimento dos pais.

Assim, a presença dos pais importa. Um ponto que ficou claro por décadas de pesquisa é a grande parte da vantagem acadêmica que crianças de famílias afluentes têm através da educação participativa e presente dos filhos, em comparação com a ausência dos pais comum nas famílias de classe trabalhadora. Mas esta pesquisa também revela outra coisa: que os pais, de todos os antecedentes, não precisam comprar brinquedos educativos caros ou dispositivos digitais para seus filhos, com intuito de lhes garantir alguma vantagem educacional. O que eles precisam fazer com seus filhos é muito mais simples: falar.

Por exemplo, um estudo conduzido por pesquisadores da Escola de Saúde Pública da UCLA e publicado na revista Pediatrics descobriu que conversas bidirecionais entre adultos e crianças são seis vezes mais potentes na promoção do desenvolvimento da linguagem quando o adulto fala.

Porém, o conteúdo das conversas dos pais com as crianças também é importante. As crianças que ouvem falar sobre contagem e números em casa começam a escola com um conhecimento matemático muito mais extenso, relatam pesquisadores da Universidade de Chicago. A psicóloga Susan Levine, que liderou o estudo sobre as palavras numéricas, também descobriu que a quantidade de conversas que os pequenos ouvem sobre as propriedades espaciais do mundo físico – como são grandes, pequenos, redondos ou afiados os objetos – prediz as habilidades de resolução de problemas das crianças quando se preparam para entrar no jardim de infância.

Enquanto as conversas que os pais têm com seus filhos mudam à medida que as crianças crescem, o efeito dessas trocas no desempenho acadêmico permanece forte. E mais uma vez, a maneira como as mães e os pais falam com seus alunos da escola secundária faz a diferença. Pesquisas feitas por Nancy Hill, professora da Graduate School of Education da Universidade de Harvard, descobrem que os pais desempenham um papel importante na chamada “socialização acadêmica”, na qual estabelece conexões entre o comportamento atual e os objetivos futuros (como ir para a faculdade, ingressar no mercado de trabalho).

 

Fonte: Vix

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.